Coleção Hangar43

Ícones atemporais do mobiliário

Bancos e Puffs

Kraft pequeno

por Domingos Tótora

MEDIDAS

Largura 50 cm

Profundidade 50 cm

Altura 45 cm

Sobre o produto

A inspiração, a delicadeza e a postura do Design Domingos Tótora em relação a sua obra são de um verdadeiro artista que cria uma peça.O banco Kraft surgiu após Tótora observar um dos bancos de praça de sua cidade em Maria da Fé (MG). Utiliza matérias primas sustentáveis, principalmente o papel kraft , tudo isso em forma de um design arrojado, sincero e autenticamente brasileiro.Disponível também na versão grande , a peça foi selecionada para o prêmio Greenbest , em 2011 .

Sobre o Designer

Com o talento de transformar peças simples do cotidiano em status de arte, Domingos Tótora elegeu o papelão como matéria-prima de seus trabalhos. Natural de Maria da Fé, em Minas Gerais, Tótora transita com peças entre a arte e o design. Tendo a natureza como fonte de inspiração, Domingos Tótora parte da sustentabilidade, conseguida através… Ver artigo

Com o talento de transformar peças simples do cotidiano em status de arte, Domingos Tótora elegeu o papelão como matéria-prima de seus trabalhos. Natural de Maria da Fé, em Minas Gerais, Tótora transita com peças entre a arte e o design. Tendo a natureza como fonte de inspiração, Domingos Tótora parte da sustentabilidade, conseguida através da reciclagem do papelão, para homenagear sua fonte criativa e criar objetos e esculturas em que beleza e funcionalidade se fundem.

Com 17 anos de carreira, o designer vive e cria através da natureza. Montou seu estúdio em sua cidade natal, , para ficar perto de sua maior inspiração. Com o conceito de sustentabilidade, adotado por muito brasileiros, cria seus designs a partir de papelão reciclado. Suas formas se moldam para formar bancos, vasos, mesas e também imita pedras e madeira. Com fama internacional, dá aulas de sustentabilidade e amora à natureza através de suas criações.

Originário da madeira, o papelão volta a sua forma inicial. A matéria prima recebida na oficina é desmanchado e recebe tratamento com cola e derivados de aglutinação. Dessa forma, se transforma em uma massa de celulose moldável, com 100% de reaproveitamento. A massa de papelão vai para o processo de criação e é moldada em gestual livre a fim de se tornar algo, seja banco, vaso, suporte ou apenas partes de um todo. Dessa forma, a ”concepção e execução andam juntas para atingir a sustentabilidade em todos os níveis”, segundo Domingos Tótora.

Bancos e Puffs