Coleção Hangar43

Ícones atemporais do mobiliário

Bancos e Puffs

Floresta

por Pedro Petry

MEDIDAS

Largura 120 cm 150 cm 180 cm cm
Profundidade 38 cm 38 cm 39 cm cm
Altura 41 cm 43 cm 44 cm cm

Sobre o produto

Conciliando o design sustentável e utilização de madeiras não convencionais , o designer Pedro Petry  prioriza cada detalhe na produção do móvel.  O Banco Floresta possui uma característica orgânica, levando para dentro de cada ambiente uma verdadeira obra de arte com seu estilo próprio e inovador.

A linha floresta foi premiada no Greenbest em 2011 , na categoria móveis e decorações.

Sobre o Designer

Pedro Petry é artista plástico, designer e administrador de empresas. Nascido em Joinville, fez especialização em Torno e Marcenaria na Alemanha. Iniciou sua carreira como artista plástico em 1990 e desde 1996 participa de diversas exposições nacionais e internacionais. Consta com exibições de seu trabalho de pesquisa com resíduos de espécies de madeiras não comerciais…. Ver artigo

Pedro Petry é artista plástico, designer e administrador de empresas. Nascido em Joinville, fez especialização em Torno e Marcenaria na Alemanha. Iniciou sua carreira como artista plástico em 1990 e desde 1996 participa de diversas exposições nacionais e internacionais. Consta com exibições de seu trabalho de pesquisa com resíduos de espécies de madeiras não comerciais. Entre essas exibições, estão: “Brasil 500 Anos” na Pinacoteca do Estado de São Paulo em 2000, a “Metamorphosen” em Hanover na Alemanha em 2001, e a Brasil Faz Design, em Milão, na Itália em 2004.

Através do desenvolvimento de sua pesquisa em materiais, desenha e executa projetos de objetos e móveis únicos. Faz questão de expor em suas peças o que normalmente é ocultado: irregularidades, trincos, rachaduras e veios únicos da madeira. A partir desta filosofia e de seu idealismo, estabeleceu um novo paradigma para o uso dos recursos naturais.

Baseado em Itu, é um dos precursores na reutilização de madeira em mobiliário e peças de design. Notabilizou-se por apresentar um novo olhar para espécies pouco valorizadas e por transformar material residual, ou seja, troncos de árvores, galhos e até raízes descartados por outros mercados, em peças singulares. Como parte de sua pesquisa com variedades alternativas de madeira, já produziu peças artísticas e móveis com 240 espécies diferentes.

“Desde que iniciamos a produção de objetos – e depois de mobiliário –, sempre buscamos incorporar rachaduras, nós, buracos, o brancal ou até mesmo as cascas. O esgotamento dos recursos naturais é um fato, portanto, não podemos nos dar ao luxo de jogá-los fora.” – Pedro Petry

Bancos e Puffs